MENU
BUSCAR
Diário Empresarial

Geração de Emprego formal continua em Alta

No caso de Mogi das Cruzes, o saldo negativo no mês de 129 postos de trabalho no segmento de “Serviços” talvez se justifique pelas altas taxas de ISS aplicadas atualmente

Cláudio CostaPublicado em 05/07/2021 às 15:26Atualizado há 4 meses
Reprodução
Reprodução

Foram divulgados os números do Caged para o mês de maio e acumulado em 2021 e, embora a taxa de desemprego continue alta, os empregos formais continuam evoluindo bem, considerando que mais da metade dos segmentos econômicos continuam a esperar pela maioria da população imunizada para uma abertura gradual da economia que trará como consequência uma diminuição no nível de desemprego e um aquecimento pleno de toda a economia.

O país teve um saldo positivo de 280 mil empregos com carteira assinada em maio e, no acumulado em 2021, o número gira em torno de 1,2 milhão. Já no Estado de São Paulo o saldo em maio foi de 104 mil e no acumulado do ano em torno de 387 mil, números superiores ao ano de 2020.

No Alto Tietê os números também são expressivos, sendo que em maio as 12 cidades integrantes do Condemat tiveram saldo positivo de 3.307 empregos e no acumulado do ano o número está em 9.858 novos empregos. A cidade de Suzano foi a cidade da região que mais gerou empregos com saldo de 2.586, seguidas por Mogi das Cruzes (2.076) e Arujá (1054).

De maneira geral os números são satisfatórios, porém importante observar que nos números de Suzano, no acumulado do ano, existe uma concentração grande de mão de obra temporária no segmento de “Serviços”, cerca de 1365 postos de trabalho. No caso de Mogi das Cruzes que, para surpresa geral, teve saldo negativo no mês de 129 postos de trabalho no segmento de “Serviços” talvez se justifique pelas altas taxas de ISS aplicadas atualmente, tornando a cidade pouco atrativa para vinda de novas empresas de prestação de serviços e motivando as empresas aqui instaladas a buscar cidades mais atrativas, sendo algo que entendo precisa ser revisado urgentemente sob pena de a cidade perder mais empregos no futuro. 

A região do Alto Tietê que congrega 12 cidades possui um pouco mais de 3 milhões de habitantes e deste total cerca 624 mil estão empregados com carteira assinada demonstrando desta forma uma alta concentração de economia informal que precisa de renda para sobreviver. Assim o desafio fomentar o empreendedorismo como forma de minimizar esta situação.

ÚLTIMAS DE Cláudio Costa