MENU
BUSCAR
Criaticidade

A nova ciclofaixa entre a região do Socorro e César de Souza

Vale destacar que as duas avenidas no local já sofrem com congestionamentos em horários de pico

Josué SuzukiPublicado em 15/09/2021 às 14:06Atualizado há 1 mês
Prefeitura de Mogi das Cruzes
Prefeitura de Mogi das Cruzes

ENTENDA O CANAL CRIATICIDADE

A avenida ficou mais estreita.

A percepção tem fundamento, afinal, trata-se da pintura da nova ciclofaixa que ligará a região do Socorro ao distrito de Cezar de Souza, passando pelas avenidas João XXIII e Vereador Narciso Yague Guimarães.

Durante o período em que as melhorias estiverem em andamento, pelas equipes da Secretaria Municipal de Transportes, serão colocados cones na ciclofaixa para evitar a sua utilização. Em um segundo momento, serão implantados tachões para separar a pista utilizada pelos ciclistas da faixa usada pelos veículos.

Tachões, sinalização, rampas de acessibilidade no trajeto. Tudo está sendo providenciado. Em material produzido pela Comunicação da Prefeitura de Mogi das Cruzes, a informação é de que a Secretaria Municipal de Transportes mantém um contato permanente com os grupos representativos dos ciclistas do município para discutir melhorias que possam ser adotadas na malha viária de Mogi das Cruzes.

O material informa ainda que serão 32,38 quilômetros de vias cicláveis, o que inclui ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas existentes em diversas regiões da cidade, como os distritos de Jundiapeba, Braz e Cezar de Souza, a Vila Industrial e a região central. O índice é o maior de toda a região do Alto Tietê.

Sem querer criticar tal melhoria, vale o alerta de que as duas avenidas já sofrem com congestionamentos em horários de pico e me parece que estreitar ainda mais a via, pode ser uma saída imediata para aumentar a a quilometragem de ciclofaixas na cidade, mas ainda está longe de termos uma política ciclovária moderna, a ponto de transformar Mogi das Cruzes em algum case de modernidade.

Esta coluna já abordou o assunto das ciclovias e ciclofaixas, que na verdade são corredores pintados. Também já mostrou um exemplo interessante em São José do Rio Preto, com separações entre pedestres e ciclistas, sem interferência no trânsito e ainda com unidades da Guarda Municipal.

Ter um espaço para ciclistas é necessário e Mogi cumpre o seu papel. Mas vale o alerta de estarmos sempre atentos aos cases e as ideias inovadores dentro do conceito de cidades criativas. Abusando dos clichês, "pensar fora da caixa".

A cidade agradece.  

Sobre a nova ciclofaixa

- Início nas proximidades da praça Paulo Vaz Romero, no Socorro.

- Percorrerá a avenida Vereador Narciso Yague Guimarães pela pista sentido bairro-centro.

- Após o encontro com a avenida Santa Rita, a ciclovia seguirá pelas duas pistas da avenida João XXIII, até o cruzamento com a avenida Júlio Perotti.

- Após esse cruzamento, a circulação dos ciclistas será feita pela pista sentido centro-bairro.

- Após a ponte sobre o rio Tietê, os ciclistas transitarão por uma ciclovia compartilhada na calçada da pista sentido bairro-centro da avenida (largura da via naquele ponto é menor que os outros trechos.

- A nova ciclofaixa terminará no encontro da avenida João XXIII com as avenidas Dante Jordão Stoppa e Presidente Castello Branco.