Entrar
Perfil
MERCADO

Versão Touring do Honda HR-V garante mais diversão ao motorista

A linha 2020 do Honda HR-V trouxe como principal novidade a volta da versão Touring. Porém, seu preço inicial de R$ 139.900 – valor 23,4% acima dos R$ 113.400 cobrados pela antiga “top” EXL – não insinua que o HR-V Touring tenha como objetivo ser um “puxador de vendas” da linha de utilitários esportivos da...

Agência AutoMotrix
07/03/2020 às 18:53.
Atualizado em 24/11/2020 às 01:06

Versão Touring do Honda HR-V garante mais diversão ao motorista (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
MERCADO

Versão Touring do Honda HR-V garante mais diversão ao motorista

A linha 2020 do Honda HR-V trouxe como principal novidade a volta da versão Touring. Porém, seu preço inicial de R$ 139.900 – valor 23,4% acima dos R$ 113.400 cobrados pela antiga “top” EXL – não insinua que o HR-V Touring tenha como objetivo ser um “puxador de vendas” da linha de utilitários esportivos da...

Agência AutoMotrix
07/03/2020 às 18:53.
Atualizado em 24/11/2020 às 01:06

Versão Touring do Honda HR-V garante mais diversão ao motorista (Divulgação)

A linha 2020 do Honda HR-V trouxe como principal novidade a volta da versão Touring. Porém, seu preço inicial de R$ 139.900 – valor 23,4% acima dos R$ 113.400 cobrados pela antiga “top” EXL – não insinua que o HR-V Touring tenha como objetivo ser um “puxador de vendas” da linha de utilitários esportivos da Honda. A verdadeira função da versão Touring é mostrar que o HR-V pode ser um carro dinamicamente instigante e reforçar a percepção de esportividade do restante da linha, que inclui as configurações mais “comportadas” EXL, EX e LX – essas sim com a responsabilidade de “engrossar” os volumes de emplacamentos do modelo.

É sob o capô do HR-V Touring que está a razão de existir da versão: o motor 1.5 turbo a gasolina, também adotado na configuração homônima do sedã Civic, que gera 173 cv a 5.500 rpm, com o torque de 22,4 kgfm de 1.700 rpm a 5.500 rpm. Proporciona um aumento de quase 25% na potência em relação ao 1.8 16V FlexOne de 140 cavalos que equipa as demais versões do HR-V. É acoplado à transmissão continuamente variável (CVT) com sete marchas simuladas e com função “kick down”, que reduz rapidamente a relação de marcha para permitir uma retomada mais eficiente quando o pedal do acelerador é pressionado até o fim do curso.

Em termos estilísticos, o HR-V Touring pouco se diferencia do SUV lançado no Brasil há cinco anos. Ostenta o mesmo “sorriso metálico”, aquela larga barra cromada que se estende até os faróis alongados. Os faróis principais e de neblina são full LED e a grade frontal tem acabamento em “black piano”. O teto solar panorâmico é o primeiro do tipo oferecido em um modelo da Honda no Brasil e a antena em formato de barbatana de tubarão também é exclusiva da versão. As rodas de liga leve de 17 polegadas são as mesmas em todas as opções do HR-V. Na traseira, o logotipo “Turbo” e o sistema de escapamento em inox com duas saídas são os únicos diferenciais de estilo.

A versão incorporou uma série de “luxos” e equipamentos inéditos para a linha HR-V, como o acionamento do motor por botão de partida e a abertura do carro sem o uso da chave, por aproximação. De acordo com a cor externa, o interior da Touring tem a opção de acabamento em cinza claro ou em preto para os bancos – revestidos em um material sintético que simula couro -, laterais de porta, console central e painel. Sensores de chuva e retrovisor fotocrômico automático são de série. Equipado com sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, o modelo oferece câmera de ré com três modos de visualização e o sistema que exibe na tela do multimídia imagens de uma câmera instalada na borda externa do retrovisor direito quando o motorista aciona a seta ou pressiona um botão na alavanca. A central multimídia de sete polegadas tem conectividade com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, e navegador GPS integrado ao sistema.

Ninguém que entra no HR-V Touring tem dúvidas: o motor 1.5 turbo a gasolina, importado do Japão, é a grande atração do modelo. Logo que o utilitário esportivo da Honda começa a acelerar, fica clara a razão: a exuberância e a elasticidade do “powertrain” se tornam absolutamente evidentes. As retomadas são empolgantes porque a entrega de força é praticamente plana em todos os regimes de rotação e o torque máximo de 22,4 kgfm está disponível de 1.700 a 5.500 giros. Isso proporciona acelerações consistentes e progressivas e evita aqueles desagradáveis “solavancos” quando o turbo entra em ação.

Quando é acionado o modo Sport, a rotação fica mil giros acima nas trocas de marchas e deixa o motor mais “cheio” e capaz de oferecer respostas mais imediatas. Para quem prefere acionar as marchas manualmente, há comandos atrás do volante. Um detalhe interessante é que o ruído dentro da cabine do HR-V Touring é menor em comparação às versões com motor aspirado. O turbo emite um som encorpado, evidenciado pelo duplo escapamento. Curiosamente, esse escape duplicado tornou necessário elevar o piso do porta-malas, fazendo com que a capacidade volumétrica da versão Touring fosse reduzida para 393 litros, 10% menor em relação aos 437 litros das configurações com motor aspirado.

O HR-V Touring também se destaca pela suspensão firme, possibilitando menor rolagem da carroceria nas alterações bruscas de direção, sem comprometer o conforto.. Com seus prós e contras, o HR-V Touring se revela uma opção de SUV a ser avaliada por quem procura um carro familiar confortável, não tem tantas restrições orçamentárias e aprecia um veículo dinamicamente mais esportivo.

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, 1.498 cm3, injeção direta, comando duplo variável, gasolina

Potência máxima: 173 cavalos a 5.500 rpm

Torque máximo: 22,4 kgfm de 1.700 a 5.000 rpm

Taxa de compressão: 10,6:1

Transmissão: câmbio automático CVT com simulação de 7 marchas acionáveis manualmente por meio de “paddle shifts” no volante, tração dianteira

Direção: elétrica

Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira

Rodas e pneus: liga leve aro 17’’ com pneus 215/55 R17

Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS

Dimensões: 4,33 metros de comprimento, 1,77 metros de largura, 1,65 metro de altura, 2,61 metros de entre-eixos

Peso: 1.380 kg em ordem de marcha

Porta-malas: 393 litros

Tanque: 51 litros

Preço: R$ 139.900 na cor sólida Branco Tafetá, como o modelo testado. As cores metálicas Prata Platinum e Cinza Barium e as perolizadas Preto Cristal, Azul Cósmico e Vermelho Mercúrio acrescentam R$ 1.150 ao preço e a perolizada Branco Estelar aumenta em R$ 1.300

Versão Touring é equipada com motor 1.5 litro turbo, de 173 cv, que dá mais agilidade ao SUV (Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Top de linha, o HR-V Touring tem preço inicial de R$ 139.900,00, enquanto a versão EXL custa R$ 113,4 mil (Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Na traseira, a dupla saída de escapamento já avisa que essa é uma versão mais esperta do Honda (Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Interior do HR-V Touring tem revestimentos em couro sintético e central multimídia completa (Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

A motorização turbo de 173 cv de potência dá respostas bem mais rápidas ao Honda HR-V (Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por