Entrar
Perfil
Emprego

Grupo de empresas de Mogi prevê abrir 13,5 mil vagas em 2022

Agência de Fomento Empresarial de Mogi das Cruzes vai lançar, em janeiro, plataforma digital para receber currículos

Eliane José
14/12/2021 às 16:20.
Atualizado em 27/12/2021 às 14:52

Um dos alvos da Agfe é ampliar a contratação de mogianos para movimentar a economia da cidade (Foto: Eisner Soares / O Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
Emprego

Grupo de empresas de Mogi prevê abrir 13,5 mil vagas em 2022

Agência de Fomento Empresarial de Mogi das Cruzes vai lançar, em janeiro, plataforma digital para receber currículos

Eliane José
14/12/2021 às 16:20.
Atualizado em 27/12/2021 às 14:52

Um dos alvos da Agfe é ampliar a contratação de mogianos para movimentar a economia da cidade (Foto: Eisner Soares / O Diário)

A caminho dos cinco meses de criação, a Agência de Fomento Empresarial de Mogi das Cruzes (AGFE) se prepara para lançar dois projetos com  objetivo comum: ampliar e capacitar a base de trabalhadores residentes em Mogi das Cruzes no grupo de 20 empresas e prestadores de serviços filiados à entidade, além de reduzir a rotatividade dos contratos de trabalho. Para isso, prevê disponibilizar em janeiro uma plataforma digital desenvolvida pela TAQE, que irá receber os currículos das pessoas interessadas nas oportunidades de emprego abertas no próximo ano nestas empresas. Há uma previsão de oferta de 13,5 mil vagas em 2022. Será lançada ainda a AGFE Academy, iniciativa centrada na formação e capacitação de mão de obra em parceria com instituições de ensino.

As informações foram divulgadas na tarde de hoje (14) pelo economista e diretor-executivo da AGFE Mogi das Cruzes, Claudio Costa. O banco de dados de trabalhadores será mantido pela organização, que irá compartilhar com as empresas, os cadastros online efetuados a partir de janeiro e também atualizar os dados, quando os interessados cadastrados, por exemplo, incluírem a conclusão de um novo curso ou aprimoramento técnico.

"Esse banco demonstrará aos interessados quais são os 600 cargos que, juntas, essas 20 empresas oferecem em Mogi das Cruzes", conta Costa, destacando que esse é um primeiro passo para fomentar uma mudança na qualificação da mão de obra municipal, com o cruzamento de informações sobre os cursos e atualizações de interesse do mercado e que deverão ser ofertados em escolas técnicas parcerias. Entre essas unidades estão Etec e Fatec (Escola e Faculdade de Tecnologia, mantidas pelo Governo do Estado), a Universidade de Mogi das Cruzes, o Senai, e outras.

A ideia, aqui, é unir pontas: o trabalhador e a empresa, aparando as dificuldades existentes na contratação para cargos específicos em todos os níveis desde a administração, gestão e produção.

As instituições acima e outras deverão estreitar o relacionamento com as empresas associadas por meio da AGFE Academy, planejada para favorecer a formação de profissionais de acordo com as necessidades mais sentidas pelos associados na hora de contratar um novo colaborador, como soldadores, engenheiros, vigias, ajudantes, etc.

Entre os desafios locais - para além dos de conjuntura nacional ou mundial, como a recessão, inflação e escassez de matéria prima - está a redução da rotatividade da mão de obra, ou seja, combater o turnover, a alta rotatividade de colaboradores em uma empresa que eleva custos e contagia outros processos internos desfavoravelmente, como o tempo gasto no aprendizado de uma função.

Essas duas ferramentas estão inseridas em um escopo maior, como ampliação da base de profissionais residentes em Mogi das Cruzes de 51% para 60% e a movimentação da economia com a contratação de empresas da própria cidade (confira reportagem sobre os planos da AGFE em nossa edição impressa, no sábado).

A AGFE é composta por 20 empresas que respondem por 25% de toda a mão de obra  contratada formalmente na indústria e no setor de prestação de serviços. Juntas,comenta Claudio Costa, "elas mantêm 25 mil empregos dos cerca de 100 mil que a cidade gera, segundo dados do IBGE, nas áreas abraçadas por esse pool que inclui indústria e prestação de serviços".

Entre as empresas da Agefe estão GM, NGK, Höganäs, Elgin, Rud, Neobpo, Ponsse, Club Med, MGITECH, AGCO, Vamos, Air Products e JSL.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por