Entrar
Perfil
AÇÃO EM REDE

Gerdau investe em novos negócios com grafeno

Inovação: Gerdau Graphene desenvolve produtos com uso do grafeno

Carla Olivo
23/07/2022 às 13:00.
Atualizado em 23/07/2022 às 13:09

Gerdau Graphene pretende acelerar o uso do grafeno e contribuir para a evolução do mercado global (Foto: divulgação / Gerdau)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
AÇÃO EM REDE

Gerdau investe em novos negócios com grafeno

Inovação: Gerdau Graphene desenvolve produtos com uso do grafeno

Carla Olivo
23/07/2022 às 13:00.
Atualizado em 23/07/2022 às 13:09

Gerdau Graphene pretende acelerar o uso do grafeno e contribuir para a evolução do mercado global (Foto: divulgação / Gerdau)

Com objetivo de ser a principal desenvolvedora de grafeno das Américas, a Gerdau Graphene, lançada em 2021 por meio da Gerdau Next - braço de novos negócios da empresa que visa garantir 20% da receita vindos de produtos adjacentes ao aço -, oferece soluções tecnológicas inovadoras para os setores da construção civil, borracha, termoplástico, tintas e sensores.

Com foco na produção, desenvolvimento e comercialização de produtos com a aplicação de grafeno no Brasil e no continente americano, a Gerdau Graphene gera mais valor a seus produtos e clientes a partir do benefício das propriedades mecânicas do nanomaterial bidimensional, formado por átomos de carbono em uma estrutura hexagonal. 

O grafeno, matéria-prima do século XXI obtida a partir do grafite e com potencial de aplicações na indústria do aço, como na proteção de peças contra corrosão em ambientes industriais e na construção - é caracterizado pela resistência, leveza, flexibilidade e transparência, além de ser um excelente condutor de calor e de eletricidade, garantindo plásticos mais sustentáveis, borrachas maleáveis, lubrificantes de alta performance, tintas e cimentos com maior eficiência. 

Com foco na produção, desenvolvimento e comercialização de produtos com a aplicação de grafeno no Brasil e no continente americano, a Gerdau Graphene gera mais valor a seus produtos e clientes (Foto: divulgação Gerdau Graphene)

Diante das múltiplas possibilidades de inovação, a Gerdau Graphene pretende acelerar o uso do grafeno e contribuir para a evolução do mercado global.

O material se tornou um dos mais cobiçados pela indústria a partir de 2010, quando os cientistas Konstantin Novoselov e Andre Geim, da Universidade de Manchester, na Inglaterra, receberam o Prêmio Nobel de Física pela descoberta, em 2004, do potencial do grafeno como transistor, tornando-o cada vez mais fino sem perder suas notáveis propriedades. A partir daí, já em 2019, a Gerdau passou a pesquisar o material, em parceria com o Centro de Inovação de Engenharia de Grafeno (GEIC, na sigla em inglês), da Universidade de Manchester.

Convidado a ingressar na Gerdau há 2 anos para atuar na área de novos materiais complementares ao portfólio, Alexandre de Toledo Corrêa, diretor executivo da Gerdau Graphene, destaca a relevância da empresa no mercado. “É a única no mundo a transformar o grafeno em um ingrediente que possa ser usado de forma comercial. Havia este hiato, porque todo mundo quer usar o grafeno, acha o material interessante, mas às vezes não entende como aplicá-lo. A Gerdau está entregando uma solução pronta, com escala industrial e preço acessível”, explica.

Alexandre de Toledo Corrêa, diretor executivo da Gerdau Graphene (Foto: divulgação / Gerdau)

Com sede na capital paulista, que no final do ano será abrigada no Instituto de Pequisas Tecnológicas (IPT), da Universidade de São Paulo (USP), a Gerdau Graphene terá laboratório e linhas de produção na fábrica de Mogi. Atualmente são 30 colaboradores, mas a empresa prepara mais contratações para chegar a 60 funcionários.

“Mogi tem grande relevância para a Gerdau Graphene, pela localização, que é muito boa em termos de acesso a mercados e clientes, infraestrutura de transporte em geral, além de acesso a excelentes profissionais, com escolas de formação técnica e universitária”, enfatiza o diretor.

Ele conta que, no mês passado, a empresa realizou os dois primeiros lançamentos de seu portfólio: o primeiro aditivo comercial para tinta imobiliária à base de água com grafeno do mundo e uma tinta de piso com o nanomaterial, que tem maior lavabilidade e dura mais tempo, inclusive com barreira à água. “Em março pintamos a fábrica da Gerdau de Pindamonhangaba e a de Mogi está sendo pintada com as novas tintas de grafeno. Na sequência, estamos lançando masterbatches de polímeros de plásticos e aditivos minerais também com grafeno. Para este ano, a meta é lançar cinco produtos”, adianta o executivo.

A Gerdau Graphene também trabalha em uma segunda linha de aditivos para aplicação em tintas anticorrosivas de light e heavy maintenance, que chegará ao mercado em 2023. 

“Estes produtos serão usados juntos com o aço, com soluções tecnológicas para os clientes. Muitas aplicações que a gente desenvolve com o grafeno, seja para concreto, tinta ou polímero, a aplicação final entra em uma cadeia onde o aço também está. Então, a Gerdau oferece soluções tecnológicas integradas”, completa.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por