A Campanha Nacional de Imunização contra a Influenza, vírus da gripe, terá início na segunda semana de abril e vai até o dia 9 de julho. A data foi anunciada pelo Ministério da Saúde, que pretende começar a campanha no próximo dia 12 com a imunização do grupo prioritário. A previsão é de vacinar 79,7 milhões de brasileiros na rede pública neste ano e atingir pelo menos 90% do público alvo

A vacina será aplicada a partir do dia 12 de abril em três etapas, de forma escalonada. Neste ano, a vacinação vai começar com as crianças entre 6 meses até as que não completaram 6 anos de idade, gestantes, puérperas (período de 40 dias após o parto), povos indígenas e trabalhadores da saúde serão imunizados. Em seguida, será a vez das pessoas com mais de 60 anos e professores.

Como a campanha de imunização contra a gripe vai coincidir com a imunização contra a Covid-19, a orientação de especialistas e do próprio Ministério da Saúde é para as pessoas evitem a aplicação das duas vacinas simultaneamente.

Não existe constatação de que possa haver alguma reação, mas o objetivo é evitar problemas, já que ainda não há estudos sobre efeitos em caso de administração dos dois imunizantes de forma conjunta.

A orientação do Governo Federal é para que as pessoas que integram os grupos prioritários priorizem a vacinação contra o novo coronavírus, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre as duas vacinas

O Governo chama atenção sobre a importância da vacinação contra a H1N1, imunizante necessário para a proteção da população mais vulnerável. De acordo com o MS, o imunizante contra a gripe vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, pode evitar mortes, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com a Covid-19.

A Campanha deste ano prevê a distribuição de 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para a imunização do público-alvo. A vacina também deve ser oferecida na rede privada para todo público