MENU
BUSCAR
Transportes

Trens têm linhas paralisadas e CPTM lamenta greve

Por enquanto, as linhas 9 e 10 estão totalmente paradas e as linhas 7 e 8 funcionando apenas parcialmente. Linha 13 também pode ser paralisada, no trecho que atende Guarulhos.

Larissa RodriguesPublicado em 15/07/2021 às 10:04Atualizado há 20 dias
Passageiros ficaram para fora da estação Franco da Rocha, da Linha 7-Rubi / Reprodução - Twitter
Passageiros ficaram para fora da estação Franco da Rocha, da Linha 7-Rubi / Reprodução - Twitter

Em razão da greve dos ferroviários, as linhas 9-Esmeralda e 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão totalmente paralisadas na manhã desta quinta-feira (15). Já as linhas 7-Rubi e 8-Diamante funcionam apenas parcialmente. A linha 13-Jade também poderá ser parada, no trecho em que atende Guarulhos. A manifestação, organizada pelos sindicatos da Sorocabana, São Paulo e Engenheiros de São Paulo, se dá pela recusa da CPTM em aumentar o piso salarial. Uma nova assembleia será realizada às 15 horas, para definir se a greve terá continuidade.

“Nós estamos tentando negociar com a CPTM há mais de dois meses a reposição salarial dos ferroviários e a empresa vem sempre oferecendo zero, já desde o ano passado. Lembrando que durante toda a pandemia os ferroviários continuaram trabalhando, se dedicando e garantindo o transporte de qualidade para os profissionais da saúde, educação e da segurança pública, entre outros, e a empresa não reconheceu isso”, reitera o presidente interino do Sorocabana, José Claudinei Messias.

Ele lembra ainda que foi necessário entrar na Justiça para garantir aos trabalhadores o fornecimento de máscaras e álcool em gel. Além disso, Messias ressalta que a greve foi deliberada em assembleia no dia 6 de julho, sendo a CPTM informada sobre a decisão no dia 7.

“É lamentável que por conta dessa omissão da Companhia e da Secretaria de Transportes Metropolitanos estejam acontecendo atos de vandalismo. A responsabilidade é totalmente deles, porque os sindicatos estão fazendo um movimento pacífico e de respeito. Infelizmente, a população está sendo prejudicada por conta da omissão da CPTM e da Secretaria de Transportes Metropolitanos”, afirma o presidente.

Por meio de nota, a CPTM lamentou a greve e disse esperar que não haja adesão por parte dos trabalhadores. A expectativa do movimento sindical é contar com a participação de 350 ferroviários.

Confira, na íntegra, a nota enviada a O Diário pela CPTM:

“A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) considera inadmissível que os sindicatos que representam os colaboradores das linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda e 10-Turquesa, com toda a linha de frente vacinada e com uma crise econômica, decida fazer greve nesta quinta-feira (15/07) prejudicando e punindo exclusivamente o cidadão que necessita do transporte público para ir ao trabalho, incluindo os que trabalham na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19.

A CPTM lamenta a decisão sobre a greve e espera que não haja adesão por parte dos trabalhadores em respeito aos cidadãos que necessitam do transporte. A Companhia reforça que há uma decisão da Justiça do Trabalho determinando a manutenção de 80% dos trabalhadores no horário de pico e 60% nos demais horários, sob pena de R$ 100 mil diários. A empresa também irá operar com um plano de contingência para atender a todos que precisam do transporte, principalmente aos que trabalham em serviços essenciais.

Enquanto milhares de trabalhadores perdem seus empregos ou tem suas rendas diminuídas - a renda média do trabalhador é de R$ 2.500,00, a CPTM mantém salários e benefícios rigorosamente em dia - salário médio de R$ 6.500,00, mesmo tendo sido duramente afetada pela queda na demanda de passageiros durante 2020 e todo o ano de 2021. Não é possível que estes sindicatos estejam em uma realidade diferente do restante do país, que sofre com desemprego, perda de renda e fome.

As linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade operarão normalmente nesta quinta-feira.”

As possíveis alterações nas operações serão informadas nos canais oficiais da Companhia, como o site, Facebook, Twitter, Instagram, WhatsApp, pelo (11) 99767-7030, e Central de Relacionamento com o Passageiro, pelo 0800 055 0121.

As linhas que atendem ao Alto Tietê, sendo a 11-Coral (Estudantes/Luz) e a 12-Safira (Brás/Calmon Viana), são representadas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central do Brasil, assim como o trecho da Capital da 13-Jade. Este sindicato não participou das assembleias e, por isso, as linhas não serão afetadas pela greve.

Mobilização

Os sindicatos Sorocabana, o São Paulo e o Engenheiros de São Paulo participaram nesta quarta-feira (14), às 16 horas, de uma audiência de conciliação com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Os trabalhadores entraram com ação no Tribunal para pedir que a CPTM assine o Acordo Coletivo de Trabalho completo, com as cláusulas econômicas sugeridas e assim garantir o reajuste salarial dos ferroviários.

Nessa reunião, o TRT propôs que a CPTM repusesse o salário em 6,22%, mas a empresa não aceitou. Desta forma, o movimento sindical optou por manter a greve.

ÚLTIMAS DE Brasil