MENU
BUSCAR
MINAS GERAIS

Sobe para 10 o número de mortos na tragédia de Capitólio; quatro são de uma única família

Segundo Corpo de Bombeiros, não há mais desaparecidos na área afetada pelo desabamento de rocha; 27 pessoas ficaram feridas

O Diário e Agência BrasilPublicado em 09/01/2022 às 15:42Atualizado há 7 dias
Polícia confirma a morte de 10 pessoas na tragédia de Capitólio / Reprodução/redes sociais
Polícia confirma a morte de 10 pessoas na tragédia de Capitólio / Reprodução/redes sociais

Em entrevista coletiva, a Polícia Civil de Minas Gerais divulgou neste domingo (9), a identificação prévia das 10 pessoas que estavam na lancha Jesus, atingida brutamente ontem (8), pela queda da rocha de um cânion, em Capitólio, cidade turística de Minas Gerais. Outras 32 pessoas ficaram feridas.

Ainda de acordo com informações fornecidas pela Polícia, as pessoas que estavam na lancha estavam hospedadas na mesma pousada, em São José da Barra, e eram conhecidas entre si, com exceção do piloto, um homem de 40 anos, natural de Betim (MG).

Entre os mortos também estão quatro pessoas de uma única família: um homem, 67 anos, de Anhumas (SP), sua esposa, de 57 anos, o filho, de 37 anos, ambos da cidade de Itaú de Minas, e o neto, de 14 anos, de Alfenas (MG). Havia ainda uma mulher de 43 anos, nascida em Cajamar (SP), e sua filha, de 18 anos, natural de Paulínia; um homem de 24 anos, de Campinas (SP) e outro de 34 anos, de Passos (MG). A décima vítima foi um homem identificado como Julio Borges Antunes, 68 anos, de Alpinópolis (MG), que teve o corpo liberado à família.

No caso das demais vítimas, o Instituto Médico-Legal ainda está fazendo o trabalho de identificação.

Na entrevista coletiva, a Polícia Civil de Minas Gerais reforçou que já abriu inquérito para investigar o acidente.

Buscas

Os corpos das duas últimas vítimas desaparecidas no desmoronamento de um bloco de pedras no lago de Furnas, em Capitólio (MG), foram encontrados na tarde deste domingo (9), segundo informou o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. 

O oitavo corpo havia sido resgatado pela manhã. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal de Passos (MG), onde estão sendo identificados com a ajuda de papiloscopistas enviados pela Superintendência da Polícia Federal em Belo Horizonte.

Os trabalhos de buscas tinham recomeçado às 5 horas de hoje (9) e envolveram cerca de 50 pessoas, entre bombeiros e militares da Marinha. Ao todo, 11 mergulhadores do Corpo de Bombeiros atuaram na operação.

A Marinha do Brasil empregou sete embarcações - quatro lanchas e três motos aquáticas. Ao todo, 30 militares trabalharam na operação: 20 no local do desastre e 10 no centro de coordenação montado no município de São João Batista do Glória, perto de Capitólio.

As operações haviam sido interrompidas às 19 horas deste sábado (8) por falta de visibilidade O desabamento ocorreu por volta das 12h30 de ontem (8), quando um grande bloco de pedra se desprendeu do cânion do Lago de Furnas e caiu sobre pelo menos três lanchas. Duas embarcações afundaram.

Em relação aos feridos, a maioria sofreu ferimentos leves, mas pelo menos duas pessoas tiveram fraturas expostas e passaram por cirurgias em hospitais da região. Vídeos nas redes sociais mostraram o momento do desabamento, no principal ponto turístico do passeio de lancha, com duas cachoeiras na entrada do cânion.

ÚLTIMAS DE Brasil