BALANÇO

Após 133 dias, Alto Tietê ultrapassa mil mortes provocadas pelo novo coronavírus

DADOS Mais de 2 mil pacientes ainda aguardam resultado de exame para a Covid-19 no Alto Tietê. (Foto: divulgação)

Enquanto o Brasil se aproxima, em ritmo acelerado, de alcançar o expressivo acumulado de 100 mil vítimas fatais do novo coronavírus (SARS-CoV-2), os 10 municípios que integram o Alto Tietê ultrapassaram nesta terça-feira (4) o marco de mil óbitos provocados pela Covid-19, após acréscimo de 11 registros. A fronteira é quebrada 133 dias após a primeira morte conhecida da doença na região, em 24 de março, oficializada no dia 31 daquele mês. Os dados, porém, voltam a apontar desaceleração da pandemia nas cidades. A taxa de letalidade da infecção também caiu de 8,2% há um mês, para 6,6% nesta terça.

O Alto Tietê levou nove dias para avançar de 800 para 900 mortes atreladas à doença, enquanto o novo acréscimo de 100 vítimas ocorreu em intervalo maior, de 11 dias.

Até então, as cidades apresentavam aceleração neste critério. O território levou 10 dias para evoluir de 500 para 600 óbitos provocadas pela Covid-19, enquanto o acréscimo de mais uma centena ocorreu em 11 dias. O número, porém, voltou a piorar entre 700 e 800 mortes, em nove dias.

A análise é feita com estatísticas das Vigilâncias Epidemiológicas e considera apenas os casos que receberam exames laboratoriais. Desde o início da pandemia, o recorde de ampliação ocorreu quando no avanço de 300 para 400 óbitos, em apenas oito dias, registrado em 4 de junho. Já entre a primeira e a centésima morte se passaram 36 dias.

Balanço

As vítimas mais recentes da infecção na região residiam nas cidades de Mogi das Cruzes (4), Itaquaquecetuba (4), Poá (1), Arujá (1) e Ferraz (1). Além disso, as cidades confirmaram mais 411 casos positivos da Covid-19, contabilizando 15.050 infectados notificados. Deste total, 55,7% dos pacientes (8.409) foram classificados como recuperados.

Considerando as estatísticas de Guarulhos e Santa Branca, que integram o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), o total de vítimas da infecção chega a 2.092, entre 31.121 casos positivos da doença.

Para dimensionar a gravidade da infecção de Covid-19 é destacado que, em pouco mais de quatro meses, o novo vírus provocou mais mortes no Alto Tietê do que a somatória dos acidentes de trânsito registrados na região entre janeiro de 2016 até junho de 2020.

Após 19 semanas, os municípios totalizaram 1.001 mortes atreladas ao novo vírus. O número é maior do que os 849 óbitos no trânsito nos últimos quatro anos e meio, de acordo com o Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga). Em 2020, o acumulado de vítimas fatais no trânsito entre janeiro e junho – último mês com dados disponíveis pelo sistema – é de 81. O montante é 12 vezes menor ao de vítimas da Covid-19 desde o início da pandemia.


Deixe seu comentário