QUARENTENA

Alto Tietê tem melhora nos indicadores e se aproxima da fase verde do Plano SP

CENÁRIO Com flexibilização, a movimento de pessoas na região central de Mogi das Cruzes é cada vez maior. (Foto: arquivo)

A subdivisão leste, que agrega os 10 municípios do Alto Tietê e Guarulhos, segue perto de ser uma das primeiras do Estado a avançar para a fase quatro (verde) do Plano São Paulo – de menor restrição do plano de retomada das atividades econômicas. Apesar de expectativas dos gestores, a região foi mantida – pela nona semana seguida – na etapa amarela, conforme divulgado na manhã desta sexta-feira (4) durante a 13ª atualização do programa. De acordo com o destacado, Mogi das Cruzes e as cidades vizinhas apresentaram melhora na maioria dos indicadores de controle da pandemia do novo coronavírus.

Até esta sexta-feira, a região atendia seis dos sete indicadores que norteiam as classificações do Plano necessários para evoluir à categoria verde. Igual observado na última atualização, há duas semanas, a proporção de óbitos por habitantes foi o fator decisivo que manteve o território no amarelo.

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), porém, destaca que estas estatísticas estão em redução. A região registra média de 6,4% mortes para cada 100 mil habitantes, enquanto o necessário para a fase verde é 5,0.

Segundo dados oficiais apresentados ontem pelo Governo do Estado, nos indicadores de capacidade hospitalar, o Alto Tietê apresenta 49,7% de taxa de ocupação de UTI (-5,69% a menos do que há 14 dias) e dispõe de 15 leitos/UTI para cada 100 mil habitantes. Nos indicadores de evolução da doença, a região apresenta variação de 0,79 em novos casos; 0,98 de internação; e 0,84 de óbitos. Já a taxa de internações por 100 mil habitantes é de 31,0 e, de óbitos, de 6,4.

O presidente do Condemat e prefeito de Guararema, Adriano Leite, destacou que atualmente a região acompanha curca decrescente, com cada vez menos óbitos. “Em 14 dias, a variação de mortes entre 100 mil habitantes reduziu mais de 5%, o que é extremamente positivo”, frisa. Ele acrescenta que “a expectativa é de que essa redução nas mortes se mantenha nas próximas semanas, assim como a melhora nos demais indicadores, para que possamos evoluir, com cautela e segurança, na flexibilização. Para isso, é fundamental que todos continuem com as medidas preventivas, pois a quarentena permanece”, frisou.

Região tem 23.101 casos de Covid-19

Os 10 municípios que integram o Alto Tietê notificaram mais 190 casos de contágio da Covid-19 entre quinta-feira (3) e às 17 horas desta sexta-feira (4). O número de moradores diagnosticados com o novo coronavírus desde o início da pandemia chega a 23.101, conforme dados das Vigilâncias Epidemiológicas. Deste total, 6.118 são referentes a pacientes ainda ativos da infecção, sendo 1.482 apenas em Mogi das Cruzes.

Já outras 15.750 pessoas conseguiram superar a doença e foram classificadas como recuperadas pelas equipes da Saúde. Os números consideram apenas os casos confirmados por exames e descartam possível subnotificação ou pacientes assintomáticos.

A região também registrou mais 10 óbitos atrelados à Covid-19 nesta quinta-feira.

O volume foi alavancado por Suzano, que sozinha confirmou a morte de três pacientes diagnosticados com o novo vírus. Além disso, óbitos também foram registrados nas cidades de Itaquaquecetuba (1), Mogi das Cruzes (2) Poá (2) e Ferraz de Vasconcelos (2).

O total de vítimas da Covid-19 no Alto Tietê chega a 1.233, que resulta em uma taxa de letalidade de 5,3%.

Luto

A Província Carmelitana de Santo Elias comunicou nesta sexta-feira (4) o falecimento do mogiano frei Martinho Ferreira da Silva Cortez, aos 82 anos. Querido na região, a longo de suas mais de cinco décadas de vida religiosa, Cortez atuou em diversos conventos no Estado de São Paulo e Rio de Janeiro, incluindo cidades como Santos, Itu, Mogi das Cruzes, Salvador, Rio de Janeiro, Angra dos Reis e Paracatu.

PERDA Frei Martinho Ferreira da Silva Cortez morreu aos 82 anos. (Foto: divulgação)

O religioso entrou no Seminário Carmelita de Itu (SP), em março de 1949. Em 1955 fez o noviciado Carmelita e cursou Filosofia e Teologia entre os anos de 1956 e 1962. Em 24 de fevereiro de 1962 foi ordenado sacerdote pelo então bispo da Diocese de Mogi das Cruzes, dom Paulo Rolim Loureiro.


Deixe seu comentário